Que brilhe a tua luz!
Artigos Por Vanessa Rodrigues Domingo, 26 de junho de 2016

 

A história de Luis Paulo Supi é bonita de se ver.

 

Com apenas 20 anos de idade e muito talento, o jovem enxadrista conquistou, no Panamericano Sub-20 Absoluto, que aconteceu na Colômbia de 20 a 25 de junho, a sua segunda norma de GM e mais 17,20 pontos de rating.

 

Esses pontos, somados aos 2488 que tinha antes de iniciar o torneio, resultaram em mais de 2500 pontos finais de rating e colocaram seu nome, definitivamente, na lista da elite do xadrez nacional.

 

Falta apenas mais uma norma para o tão sonhado título de Grande Mestre, o título máximo do xadrez, desejado por muitos, mas conquistado por poucos – hoje, no Brasil, temos apenas 12 GMs (o GM Evandro Amorim Barbosa ainda está em festa pelo título conseguido nesse ano de 2016).

 

O mais interessante é que um título desse porte é festejado não apenas pelo seu titular, como acontece nas outras competições desportivas, mas também por todos aqueles que conhecem a dificuldade de se obter cada ponto para somar ao rating e que sabem do esforço, do tempo e do talento exigidos para se conseguir obter a soma sustentada hoje pelo mestre Supi.

 

Luis Paulo Supi deu os primeiros passos no xadrez incentivado pelo pai e logo depois, então com 8 anos de idade, passou a estudar de forma mais séria com o Professor Gleison Begalli, de Catanduva /SP, cidade onde nasceu e onde ainda reside.

 

As lições aconteciam na escola onde Supi estudava e a prática efetiva, ou seja, a participação em torneios fora da cidade, só aconteceu após 2 anos de estudos e práticas locais.  A partir daí foram conquistas após conquistas e o xadrez nacional viu surgir um nome que se perpetuaria na história desse intrigante esporte-arte. Já foram 7 títulos nacionais, um título panamericano em 2012 (até 16 anos) e agora outro em 2016 (sub 20), um sulamericano sub 14, além de inúmeros títulos nos diversos torneios que já participou.

 

O título de Mestre Internacional veio em 2013 e o rating vem subindo de forma gradativa desde o início de sua contagem.

 

Tivemos a oportunidade de entrevistar o MI no Aberto do Brasil de Poços de Caldas (https://www.youtube.com/watch?v=IArHCPFZw5E), realizado de 26 a 28 de fevereiro, e foi possível perceber a sua garra e o foco com que lida com o assunto: título de Grande Mestre. Sempre soube das dificuldades, mas nunca se deixou abater por causa delas, ao contrário, superou a si mesmo em diversas ocasiões e comprovou que o sonho não era nada impossível e que estava mais perto do que muitos poderiam imaginar.

 

Supi nos passa a imagem de rapaz sério e responsável, bom filho e bom colega, sempre respeitoso e de fala firme e determinada. Em nossa conversa, ele deixou transparecer aquele brilho nos olhos próprios de quem persegue a própria estrela e que sabe que pode alcançá-la.

 

Reiteramos aqui nossos votos de sucesso já desejados durante a entrevista citada (https://www.youtube.com/watch?v=IArHCPFZw5E), e desejamos, uma vez mais, que brilhe a tua luz!